quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

FATÍDICO ANSEIO





Você quer saber?
Quer saber mesmo?
Pois o meu maior anseio,
É o mais simples que se possa imaginar;
É aquele que nenhum dinheiro pode comprar;
O meu anseio esta onde ninguém procura;
Esta no meu silêncio;
Nas palavras que não ouso pronunciar;
Está no meu olhar...
Deveras até nas páginas solitárias de uma livro;
Que folheio acariciando;
Sentindo o cheiro das páginas que conversam comigo;
Ele baila naquela melodia que me envolve e dança comigo;
E eu me entrego leve, ao ritmo da canção;
Ele está no meu aconchego;
Que me trás a sensação de proteção;
Mesmo que seja falsa;
Ha, ele sempre esta naquela poesia;
Que fala com minha alma e diz coisas que nem eu sabia sobre mim;
Ele fica escondido, guardado, debaixo de sete chaves;
Dentro de mim;
Trancafiado, amordaçado, algemado e vendado.
Mas de que adianta...
Toda essa proteção;
Se o que ele usa para ser livre;
É algo que não se pode engaiolar;
Ele usa o sentimento;
Esse fatídico anseio meu;
Chamado AMOR.


Waleska Raquel

Postar um comentário