segunda-feira, 18 de maio de 2015

Presságios





Ela abriu a porta pra mim.
Tão pequena!!!
Agradeci com um obrigada.

Me dirigi ao caixa, onde ao lado havia um homem de costas. 
O caixa travou e teve que dirigir-se a outro para concluir a operação.

Elas ficaram amigas, tinham o mesmo nome.

Após os serviços bancários, fomos ao supermercado.

Ao chegar, novamente o mesmo homem. Mesmo semblante. Mesmo jeito tímido. 
Não pude deixar de observar.
Mas esses olhos que observam não são aqueles olhos de olhar gente.
São meus olhos de mulher.
Aquela chama apagada crepitou aqui dentro.

Parecia tão sem vida...
Parecia que nesse mundo não existiam mais criaturas que pudessem acendê-la.
Parecia...

Pois é assim. 
A chama quando acende, é na primeira faísca.
Não precisa de tempo nenhum. 

O presságio está lançado, e o destino unirá.