segunda-feira, 31 de julho de 2017

Existir no mundo





Vivo em um mundo que não existo,
Vejo coisas que não acredito,
Sinto emoções inexistentes...
O sol brilha mas não me esquenta,
O dia amanhece mas eu não acordo,
A noite vem e eu não descanso.
As horas passam e o futuro não chega,
O futuro está onde não estou.
Eu vejo as cores mas não me pinto com elas,
Minha cor é o reflexo da ilusão em que vivo.
A minha primavera não possui flores,
E as que comprei já não sei mais onde estão.
Quero que chova, para lavar minha face,
Mas a chuva cai no inverno que não é meu.
Se vivo, se abro os olhos,
Vejo um lugar onde ninguém me vê.
Sou transparente, sou insípida, sou um fantasma que o além ainda não conheceu.
Onde está a terra prometida?
Não conheço o idioma que falam.
Não sei o caminho para o mar,
Mas o mar fala em meus ouvidos...
E nesse dia que assisto, quero viver aquilo que não é meu.

WR.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Uma Mulher Desumana




Do meu papel de mulher e mãe, olho pra sociedade atual e me sinto ao mesmo tempo constrangida, injustiçada e lisonjeada por ser eu mesma...
Digo constrangida, por ser mulher e ter as mãos atadas, e por muitas e na maioria das vezes não poder colocar em prática todo o poder que tenho como fêmea procriadora e educadora do futuro de uma nação. 
Injustiçada, pelo fato de como ser mãe, não poder em todos os momentos em que se é necessário, estar presente, auxiliar, estar psiquicamente estável, emocionalmente capaz, fisicamente saudável, cronologicamente presente,  historicamente e socialmente informada, culturalmente evoluída, para suprir as necessidades de auxiliar um ser humano que acabou de chegar ao mundo, prosperar em sua caminhada em prol de uma humanidade melhor.
Lisonjeada por ser taxada como culpada ou não do futuro incerto da humanidade...
Pois ser culpada por uma coisa tão grandiosa nos poe nas mãos um poder grandioso.
Poder esse que nos é tirado no momento em que não podemos escolher como e de que forma queremos dar a luz e onde, e temos que seguir regras sociais pré estabelecidas por conceitos médicos, religiosos, sociais sem levar em consideração a vontade pessoal de cada mulher. Não podemos escolher até quando nosso bebê quer e precisa ser amamentado, pois o trabalho nos espera, e mais uma vez a sociedade interfere nas escolhas... Não podemos comparecer as reuniões escolares, levar as crianças ao médico, acompanhá-las em enfermidades... São as Leis Trabalhistas!!!! Sim... Tudo isso é uma grande bola de neve, que como um pequeno grão de areia que foi escolhido, talvez por nós mesmas, chegou a esse ponto. Nós mulheres queremos algumas coisas, mas em troca damos algo infinitamente maior. Pagamos com o futuro de todos nós. Pagamos com o nosso próprio sangue. Talvez seja por isso que hoje em dia seja natural mulheres sangrarem todos os meses... Fato que antigamente não existia. Mulheres não sangravam pois davam a luz, e passavam muito tempo amamentando, e logo engravidavam... O sangramento surgiu com os métodos contraceptivos e a evolução. Mas percebem que tal evolução é científica mas a sociedade involui psicologicamente? Quantas doenças psicológicas surgiram nos chamados novos tempos? Cada vez mais a humanidade sofre com depressão, síndromes e suicídios... Tempos modernos cientificamente, com medicamentos cada vez mais evoluídos de primeira geração para tratar cada vez mais transtornos. Temos enfim uma sociedade doente, que chega ao calar da noite, ao fim de mais um dia de trabalho, cada um ingere sua dose de humanidade para dar conta do dia seguinte.

WR.

sábado, 1 de outubro de 2016

Amadurecer é preciso.



        Mas pensando bem... Cada maçã tem seu tempo. E se não forem realmente comidas na época certa, corremos o risco de comer o fruto já podre. Melhor não esperar muito embaixo de uma macieira que não quer amadurecer seus frutos...

sábado, 3 de setembro de 2016

Aventura




Aventura de Uma Vida Inteira

Ative a mágica
Para mim ela diria
Tudo que você quer está a um sonho de distância
Nós somos lendas
Cada dia
Foi o que ela disse a ele
Ligue sua magia
Para mim ela diria
Tudo que você quer está a um sonho de distância
Sob esta pressão, sob esse peso
Nós somos diamantes
Eu sinto meu coração batendo
Eu sinto meu coração debaixo da minha pele
Eu sinto meu coração batendo
Oh, você me faz sentir
Como se estivesse vivo novamente
Vivo novamente
Oh, você me faz sentir
Como se estivesse vivo novamente
Disse que eu não posso continuar, não desta forma
Sou um sonho, eu morro pela luz do dia
Vou segurar metade dos céus e te dizer, que
Oh, estamos pressentindo algo
Eu sinto meu coração batendo
Eu sinto meu coração debaixo da minha pele
Ohhh, eu posso sentir meu coração batendo
Porque você me faz sentir
Como se estivesse vivo novamente
Vivo novamente
Oh, você me faz sentir
Como se estivesse vivo novamente
Ligue sua magia
Para mim ela dizia
Tudo que você quer está a um sonho de distância
Sob esta pressão, sob esse peso
Somos diamantes tomando forma!
Somos diamantes tomando forma!
Se só temos esta vida
Então esta aventura é maior que eu mesmo
E só se temos esta vida
Você vai me fazer passar pela vida, vivo
E só temos esta vida
Então esta aventura é maior que eu mesmo
Quero compartilhá-la com você
Com você, com você
Eu disse, oh, digo oh
Woo hoo, woo hoo

sábado, 27 de agosto de 2016

Florescimento





 Trevo da Sorte


Seus olhos me dizem tudo o que eu quero saber...  A primeira vez que me olhou, vi um brilho que nunca vou esquecer. Brilho que está ofuscado, embaçado, em um olhar triste e fechado. Como posso não ouvir o que suas palavras não querem dizer? Se são gritos de agonia silenciosos? Como posso não perceber essa luta contra o que é bom, por medo de não prosperar? É tudo tão explícito, que  a negação e a fuga são como um grande escudo brilhante que você carrega diante de si. A dor endurece as almas, os corações, mas esse endurecimento nada mais é do que uma casca que se cria em volta de um ser sensível demais pra superar certas diversidades... E é nessa sensibilidade que está toda a beleza, a graça e o valor desse ser. Só os mais belos criam cascas, justamente por não saber se defender, então criam esse mecanismo de proteção diante as dores da vida. E vão seguindo o destino sem saber que essa casca, infelizmente tem muitas rachaduras... E esse mecanismo não será o suficiente para proteger o tesouro guardado a sete chaves. A água, a mais pura e límpida que existir, conseguirá entrar em seus vãos, e inundar o reservatório que estava seco, purificando-o, hidratando-o e fazendo as sementes que lá existem brotarem novamente...



  Para meu trevo da sorte.


WR

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Crush




"Nada se cria, tudo se transforma". Antoine Lavoisier

É com esta citação de Lavoisier que faremos alusão ao termo CRUSH, e o poema Quadrilha, de Drummond. 

Estamos na modernidade, mas o ser humano e seu modo de pensar, agir, e se emocionar, basicamente continua o mesmo. 
Muda-se o modo de interação, formas de tratamento, mas o objetivo, a causa, o ápice da questão é, e sempre será a mesma. 
Somos guiados por nossos instintos em primeiro lugar, e em segundo plano a consciência. No momento em que pensamos que estamos agindo conscientemente, o instinto já nos fez pensar que a decisão seria obra da consciência. Sim, somos ID. Mas lutamos incansavelmente, a vida inteira para ser EGO. Pois vivemos entorno de SUPEREGOS que nos amordaçam e acorrentam. 

O CRUSH, nada mais é do que o João que amava Tereza...
Condição do desencontro amoroso, onde se quer o que não se poderá possuir.


QUADRILHA

Carlos Drummond de Andrade

João amava Teresa que amava Raimundo 
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili 
que não amava ninguém. 
João foi para o Estados Unidos, Teresa para o 
convento, 
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia, 
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto 
Fernandes 
que não tinha entrado na história.