quarta-feira, 24 de abril de 2013

ESCURIDÃO




"lasciate ogni speranza voi che entrate"
Seguiu-se uma noite...
Uma noite de tal escuridão
Que sufocava o brilho das estrelas,
Afogava a luz de todas as lanternas
E até mesmo o Sol
Mergulhou nas águas
Da mais profunda e fria escuridão.

Seguiu-se uma noite... E após ela, outras
Se ergueram do solo como inço e
Arrastaram seus corpos viscosos até o esquecimento
Carregando consigo
Tudo aquilo que um dia teve alento.

Seguiu-se uma noite que desfez a espera
E desatou consigo as cordas do mistério.
As mãos imóveis desenhavam seu destino
E os olhos em vão se reviravam para ver.
Nada se ouvia, a não ser
O choro convulsivo das perdidas esperanças.

Por que, então, lamentar a doce perda
Dos erros e ilusões das quais fomos cativos?
Como lamentar que espinhos e pedras
Dissipem-se no ar como neblina?

Aqui vencemos e fomos vencidos...


(Igor Roosevelt; 15/04/2013)
Postar um comentário