sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Continuar







Eu tenho as faces rosadas, as costas doendo, o corpo molhado de suor e as mãos tremendo. Cada vez que um pedaço de mim é arrancado, a reação do meu corpo é continuar agindo como se ele ainda estivesse lá. De modo que continuarei a escrever sem as mãos, dançar sem as pernas, ofegar sem os pulmões, balançar os cabelos invisíveis, abraçar sem braços, gemer sem a boca, chorar sem os olhos e me contorcer sem a coluna. Tenho certeza de que quando você se for, vou continuar correndo sem o coração, como um animal que ainda se move por reflexos mesmo depois de morto e desviscerado. Mas por quanto tempo os reflexos sustentarão um corpo que corre sem o coração, se contorce sem a coluna, chora sem os olhos, geme sem a boca, abraça sem braços, balança cabelos invisíveis, ofega sem os pulmões, dança sem as pernas e escreve sem as mãos? Eu me pergunto, e meu corpo reage mais do que nunca.


Alice Chaves.
Postar um comentário