terça-feira, 7 de abril de 2015

Carta do Futuro





Uma carta do futuro


Oi, sou eu, vim do futuro pra te dizer como será sua vida daqui a dez anos...

Olho pra você e não te reconheço, a não ser pela sua alma e carater, mas sua condição de mulher é totalmente diferente. Você em dez anos conseguiu fazer o brilho dos seus olhos e sua ânsia de mulher resplandecer. Daqui do futuro vejo uma mulher com um bebê nos braços e a cobrança social nos ombros. Olhos com brilho de mãe e uma névoa encobrindo a alma da mulher. Sim. Você tentou. Tentou ser a mãe, e conseguiu ser brilhantemente. Também tentou ser a mulher. Mas esse papel lhe escorreu pelas mãos. Pois para se ser mãe, é preciso se ter um filho, e você o tinha. Mas como ser mulher sem ter um homem? Sim, digo mulher no sentido de fêmea. Eu sei. Dai do passado você não sabe disso. Mas daqui do futuro eu sei. Você, com toda sua inocência juvenil pensava que havia se casado. Mas na verdade, mudou-se sozinha para uma casa e viveu lá por nove anos. Mas nunca se casou. Engravidou, pariu, o suposto casamento acabou. Mas, foi como se aquela condição de lar continuasse a mesma. Inalterada. Justamente, pois só se altera o que existe. Você aprendeu muitas coisas nestes anos. E uma das coisas mais importantes que aprendeu foi a ser mulher. Mulher de você mesma, mulher do seu trabalho, mulher da sua casa, mulher de alguns homens, Mulher que se basta. Quero te dizer daqui do futuro que não tenha medo, que muita coisa será quebrada, você conhecerá, junto com sua pequena o valor de uma família, saberá que amigos, não são aqueles que frequentavam sua casa para comer picanha, e que é maravilhoso ter seu próprio carro em seu nome. Mas também enfrentará o preconceito. A maioria das mulheres que te consideravam como do "grupo" agora vão te olhar com outro olhar. Você tornou-se um perigo. Como se você estivesse mesmo interessada em algum dos supostos desinteressantes maridos. A vida vai seguir e você vai encontrar seu lugar. Lugar de quem sabe o que quer e luta por seus ideais. Lugar de quem não quer mais perder tempo com sentimentos clichês. Muitas pessoas não entendem porque você escolheu viver sem o alarde social. Talvez, seja porque realmente faz parte de sua natureza introspectiva, e talvez porque sinta tal completude ao ponto de não necessitar buscar algo que muitos buscam fora de seus lares infinitamente, mas não encontram. E assim, quando você chegar aqui, onde eu estou, será uma mulher plena de sí e pronta para o amor.

WR.
Postar um comentário