terça-feira, 14 de junho de 2011

INDIFERENÇA

 
 
 
 
Alguém que promete amar alguém, nesse momento, pega na ponta de um novelo que tem de desenrolar dia a dia sem parar. No amor, a única traição é a indiferença, o baixar dos braços de quem se esquece de puxar o fio, de o manter tenso, firme, com o novelo sempre a rodar sobre si mesmo-como um coração latente. O sexo pode ser apenas pele transpirada, como numa partida de ténis. Sexo pode nem chegar a ser uma traição. Só traímos quando fechamos a alma para alguém e a deixamos no lado de fora .

 
(João Morgado)


Postar um comentário