quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Maçãs





Era uma vez uma moça sonhadora que vivia em uma colina numa remota cidade ao norte de seu país. Todas as tardes, Katyusha surgia as margens do rio a olhar o por do sol e ler as cartas do seu amado que voltaria...
Naquelas margens, frondosas macieiras davam frutos. E nas suas sombras Katyusha sentava-se a esperar o imaculado soldado em seu prometido retorno. As maçãs eram vermelhas e doces e assim também era o coração de Katyusha.
Mas as macieiras eram tão exuberantes e produtivas que dos seus frutos nasciam outras mudas que cresciam e começavam a dar frutos...
Katyusha foi ficando pequenina em meio a tantas maçãs. Não sabia o que fazer sozinha com elas. Eram muitos frutos para uma pobre moça dar conta de tudo. O chão começou a ficar inundado de maçãs vermelhas, que aos poucos começaram a apodrecer e não mais nasciam novas mudas. E insetos começaram a tomar conta do lugar tornando o que era belo e encantador em um lugar triste e sombrio.
Katyusha foi-se pra nunca mais voltar, e as macieiras aos poucos morreram pela exuberância que um dia caiu de seus galhos sem ser aproveitada.
Daquela linda macieira Katyusha guardou, o que todo ser vivente guardaria. Uma semente. Uma semente de vida.

WR.
Postar um comentário