quinta-feira, 29 de setembro de 2011

SEGREDOS




No discurso amoroso, é aconselhável a descoberta gradual. Os segredos e a consciência de não saber se fazem necessários, e degustamos juntos nossos sorvetes de sabores favoritos e cada novidade sobre o outro, cativando aos pouquinhos. São como quizes de internet: vamos apertando “próximo” para saber onde estamos nos metendo, mas já imaginando qual será o resultado.
Mas quando te conheço melhor, metamorfoseamos e criamos nossos próprios segredos. Uma língua estrangeira para o mundo inteiro, mas que para a gente faz todo o sentido. Olhares, sorrisos de canto, apertos de dedos entrelaçados e palavras que contém significados embaralhados e qualquer lugar é destino definido.
Nossos segredos são laços de cumplicidade.


ilustração: marina faria
texto: tiago yonamine
Postar um comentário